Vinicius de Moraes

Da Wikipedia.

Provincia di Piacenza-Stemma.png Artìcol in dialët piasintëin Piacenza-Stemma.png


Vinicius de Moraes in dal 1970.

Vinicius de Moraes, che in realtà al sa ciamava Marcus Vinícius da Cruz de Mello (Rio de Janeiro Brasil, 19 d'utùbar 1913 - Rio, 9 ad lüi 1980) l'è stä un pueta, müsicista, cantant e scritùr brasigliàn.

L'è nasìd in d'una famìglia burghesa e l'ha cumancià a fà la carièra diplumàtica. L'ha cambiä quasi sübat par la müsica e la puesìa. Al s'è spusä nöu vòti e l'è stä al padrëin artìstic ad Toquinho.

In d'i ann '60, ai temp ad la ditadüra brasigliàna (al famùs AI-5) l'è stä in Itâglia par divèrsi ann.

I sò cansòn püsä cungnusìdi[modifica | mudéfica la surzéia]

  • A arca de Noé
  • A casa (cunusìda, in Itagliàn, tàme Via dei matti)
  • A felicidade
  • A flor da noite
  • A porta
  • A tonga da mironga do kabuletê
  • Água de beber
  • Algum lugar
  • Amigos meus
  • Amor em paz
  • Arrastão
  • Ausência
  • Berimbau
  • Bom dia, amigo
  • Bom dia, tristeza
  • Broto triste
  • Caminho de pedra
  • Canção da canção que nasceu
  • Canção da noite
  • Canção do amanhecer
  • Canção do amor e paz
  • Canção do amor ausente
  • Canção do amor demais
  • Canto de Ossanha
  • Canto de Oxum
  • Canto de Xangô
  • Canto triste
  • Carta ao Tom 74
  • Chega de saudade
  • Chora coração
  • Chorando pra Pixinguinha
  • Coisa mais linda
  • Como dizia o poeta
  • Consolação
  • Cotidiano nº 2
  • Deixa
  • Ela é carioca
  • Estrada branca
  • Eu não tenho nada a ver com isso
  • Eu sei que vou te amar
  • Formosa
  • Garota de Ipanema
  • Golpe Errado
  • Insensatez
  • Janelas abertas
  • Labareda
  • Lamento
  • Lamento de um homem só
  • Lamento no morro
  • Lembre-se
  • Loura ou morena
  • Luciana
  • Maria
  • Mais um adeus
  • Medo de amar
  • Menina das duas tranças
  • Menininha
  • Meu pai Oxalá
  • Minha namorada
  • Modinha
  • Morena flor
  • Mulher carioca
  • Mulher, sempre mulher
  • O astronauta
  • O bem-amad
  • O filho que eu quero ter
  • O grande amor
  • O morro não tem vez
  • O nosso amor
  • O pato
  • O poeta aprendiz
  • O tempo da flor
  • Onde anda você
  • Outra vez
  • O velho e a flor
  • Minha namorada
  • Pobre menina rica
  • Por toda a minha vida
  • Pra que chorar
  • Pra viver um grande amor
  • Primavera
  • Rancho das namoradas
  • Regra três
  • Rosa dos Ventos
  • Sabe você
  • Samba da Benção
  • Samba da rosa
  • Samba da volta
  • Samba do avião
  • Samba do carioca
  • Samba do Pouso
  • São demais os perigos desta vida
  • Se o amor pudesse
  • Se todos fossem iguais a você
  • Sei lá (A vida tem sempre razão)
  • Se você disser que sim
  • Sem você
  • Serenata do adeus
  • Só danço samba
  • Só por amor
  • Tarde em Itapoã
  • Tatamirô
  • Teleco-teco
  • Tem dó
  • Um nome de mulher
  • Uma rosa em minha mão
  • Valsa do bordel
  • Valsa de Eurídice
  • Valsa para uma menininha
  • Valsinha

Bibliugrafia[modifica | mudéfica la surzéia]

  • Giancarlo Mei, Canto Latino. Origine, evoluzione e protagonisti della musica popolare del Brasile, Prefasiòn ad Sergio Bardotti, Postfasiòn ad Milton Nascimento, Nuovi Equilibri, 2004, ISBN 88-7226-801-X
  • Gildo De Stefano, Il popolo del samba. La vicenda e i protagonisti della storia della musica popolare brasiliana, Prefasiòn ad Chico Buarque, Introdüsiòn ad Giàni Minà RAI-ERI, 2005, ISBN 88-397-1348-4

Ligamm ad föra[modifica | mudéfica la surzéia]

Sit üficiäl ad Vinicius de Moraes